quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Normalidade? Hã?

Que normalidade que nada, isso aqui tá tão calmo quanto cozinha de hospício e eu tão perdida quanto cachorro em procissão...essa obra não termina porque a chuva não pára, mas o dinheiro termina, ou melhor, já terminou e vendemos nosso carrinho 2008 para levantar grana. Trocamos por uma camionete bonita (por fora!) ano 97. Hã? 2007? Não, não... é 97 mesmo, afinal tinha que fazer grana mas não dá para ficar sem carro sem um meio de locomoção.
Tudo foi bem no primeiro dia. No segundo dia deu uma falhadinha na bateria, no terceiro tivemos que chamar apoio mecânico, no quarto descobrimos que o marcador de combustível estava estragado (bem que eu estava achando ela muito econômica) e o tanque secou. E de lá pra cá "se chorei ou se sorri o importante é que emoções eu vivi".
Estávamos já morrendo de saudade do nosso Corsinha 2008 e o André resolveu ligar para a revenda para trocar a bicheira por outro carro que andasse um pouco melhor mas o senhor que nos atendeu disse para levar ela lá que eles fariam os consertos necessários: troca de bateria, conserto do marcador de combustível, troca de borrachas porque chove pra dentro e melhorar a situação da porta do motorista que não fecha direito e também chove pra dentro. Ok, a bicheira vai ficar legal se ele consertar essas "coisinhas".
Mas antes de entregar ela para o  conserto eu tive que sair com as crianças para uma consulta médica. Nosso horário era as 16h mas como eu não sabia quais seriam as surpresas saí de casa as 13h.
Dito em feito: As crianças já estavam devidamente acomodadas e na hora de girar a chave a "bela" não pegou. Bem na hora nossos queridos pedreiros estavam voltando do almoço e deram uma empurradinha para pegar no tranco. Oba! Funcionou!
Mas o marcador de combustível está estragado. Será que tem  gasolina? Melhor parar naquele posto que tem uma bomba em uma descida, aí faço ela pegar no tranco de novo.. Ufa, tudo certo, chegamos no posto, abasteci e usei a decida para colocar a bicheira em movimento.
Então fomos para o shopping almoçar e depois de comer e responder umas 10 vezes "sim, são gêmeos" fomos embora. Acomodei as crianças, girei a chave, e ... pois é, não pega. Chamei os seguranças, eles reuniram 3 ou 4 pares de braços e pernas e empurraram a coisa.
No caminho para o hospital onde eu tinha consulta com o oftalmologista para o Matheus, começou a chover e eu me dei conta que estava sem dinheiro para o estacionamento (tinha só o cartão),então dei umas voltas por fora do hospital para encontrar uma vaga mas não tinha nada suficiente próximo para poder movimentar as duas crianças sem se molhar muito.
"Vou entrar no estacionamento e depois vejo como faço".
Estacionei o carro fechei bem os casacos, capuz, cada um com seu guarda chuva e combinamos de ir rapidinho cantando "chove chuva,chove sem parar".
O Matheus foi super cooperativo na consulta e as 17h estávamos prontos. No hospital não tinha caixa eletrônico nem o estacionamento dispunha de pagamento em cartão, então fui numa farmácia lá dentro e pedi que ela debitasse a mais nas minhas compraas para eu ter a diferença em dinheiro. Ok, mais um problema resolvido.
Empacotei as crianças, desisti dos guarda chuvas porque com o vento eles mais atrapalhavam e fomos correndo para o carro e pedi encarecidamente a Deus que aquela coisa pegasse. Brum, brummmmmm, pegou! Ufa, ufa, ufa!
Por hoje deu,vamos pra casa.
Na chegada chovia e os dois estavam dormindo. Busquei uma proteção, levei um depois o outro e com a sensação de missão cumprida fechei a porta de casa com os cabelos pingando.
Que dia! Amanhã a coisa o carro vai para a oficina.

6 comentários:

Adriana disse...

Caramba!! que sufoco!!!
Sabe, nós abrimos uma loja no início do ano passado e tb tivemos que vender nosso carro e pegar um velhinho.....no caso foi um uno. Tenho raiva de uno até hj, kakakakaka

mas tudo passa.....e é por uma boa causa o "sacrifício"

Levou os meninos em um homeopata? se tiver levado e gostado me passa o endereço??

adriana@saomarcos.br

bj

ps: já adicionei seu mail lá no blogger, consegue nos ler?

Juliana Doerner disse...

Amiga que loucura o dia de hoje heim!!!

Mas vc tirou de letra, uma super mãe... e graças a Deus o carro vai ser arrumado...

Já tive dias que não sei como dei conta... Mas sempre damos né!

Beijos

Elaine Correa disse...

eita!!!
uma maratona hein!!!bom é a sensaçao de dever cumprido mesmo com imprevistos =z maas vai com fé,tudo vai dar certo no fim dos finalmente!nada é permanente,tudo é passageiro,ja dizia uma amiga minha!
bjus

Renata disse...

Ai, Cris, sei todo o teu sufoco, mas que o relato foi cômico,..ah..foi! tadinha,...fiquei aqui só imaginando vcs três correndo e cantando "chove chuva,.."
Agora essa coisa de carro, é dose mesmo! Eu e o Felipe já passamos por muita coisa, até que fazendo as contas, decidimos optar pelo nosso primeiro carro zero! Isso foi em 2009, anter dos meus pitocos nascerem,... Mas antes disso,...nossa, só tínhamos gastos e trabalheira com os carros que pegávamos,...
Mas amiga, sei, não está na fase da normalidade, mas agora chegou o sol,... e logo estarão de volta às obras... E, mais adiante, poderão trocar a bicheira por algo melhor,..porque a vida é assim,... apertamos aqui para ter melhor ali,..e assim vai,..
Bjos, boa sorte e segura tua onda, que logo ela passa. Bjos

Julia Usui disse...

Nossa Cris, quantas emoções hein! HAHAHA

Daqui a pouco sou eu q estou nessa correria, vou sair do apErtamento e ir para uma casa! Os meninos estão "implorando" por mais espaço... rsrsrs


Bjus e força na peruca ae!

O mundo da Dani disse...

socorrooooooooooooo,coitada da minha amiga....rsrsr
bjaoooo