domingo, 8 de agosto de 2010

Segundo Dia dos Pais

Passamos pelo segundo Dia dos Pais. Foi muito diferente do ano passado quando o Matheus e a Luana ainda bem pequenos só sentavam com almofadas em volta.
É incrível como eles mudaram nesse ano! Hoje não são mais aqueles bebezinhos, mas duas criaturinhas lindas e enlouquecidas que gritam, correm, brincam, brigam, tem vontades, comem, ... é outra realidade. Coisa boa!
Claro que era lindo ter os dois bebezinhos (cada fase tem o seu encanto) mas curto mais hoje em dia com eles um pouco mais independentes, comendo de tudo e brincando com as outras crianças.

O difícil da fase que estamos vivendo agora está sendo fazê-los obedecer. Estão sempre testando ou fazem que não escutam ou o danado do Matheus ainda ri da minha cara e sai correndo se chamo ele (claro que não é sempre). Mas estou com dificuldade em mostrar e fazer entender limites. Como se faz isso? Se eu conversar com eles com meu vocabulário normal eles me entendem? Acredito que sim, mas depois eles esquecem? Porque fazem a arte de novo? Devo repetir e repetir mil vezes calmamente até que deixem de fazer a arte?
Mamães, preciso de dicas... vocês vivem ou viveram a mesma situação? Como agir?

Bom início de semana a todos!

7 comentários:

Dani e afilhadas disse...

Boa noite. Cheguei ao blog de voces através de outros blogs. Visito seu blog faz um tempinho, mas ficava com vergonha de comentar, pelo fato de ainda não ser mãe. Tenho uma afilhada quase da mesma idade dos seus filhos. Se quiser nos conhecer, visite meu blog www.afilhadosamados.blogger.com.br

Beijos Dani e afilhadas

Juliana Doerner disse...

Olá,

Eu estou aqui já aprendendo com você, meus bebês estão com 6 meses, por isso não sei como ajuda-la.. Mas estou curiosa pra saber como agir.

No meu blog tem selinho para o seu blog!

Beijos...

Renata disse...

Oi Cris, em primeiro lugar, parabéns ao papai!!!
Sobre o que escreveste, é difícil a gente lidar com situações como essa, pois realmente é uma fase de testes. Sei que vou passar por isso com o Raul e com Carolina, e por isso também tenho minhas dúvidas. Eu acredito que as crianças nessa idade ainda não conseguem absorver a informação do que pode e o que não pode fazer, o jeito mesmo é a gente repetir sempre,...e aos poucos eles vão aprendendo... São tão novinhos, né? Mas vamos ver se alguém com experiência e/ou conhecimento sobre o tema pode nos ajudar.
Grande beijo!

Babi disse...

Cris a beatriz esta nesta fase tb( faz tempo) olha eles tem boa memória sim, a beatriz lembra qdo dou bronca nela, ela repete com algum gesto. Temos que ser insistentes e muito chata nesta hora, fazer o que mãe é pra estas coisas né.
As vezes perco a paciencia e me exalto....não é facil...paciencia é tudo que peço a Deus todos os dias.

Camila disse...

Oi Cris! Aqui em casa não é diferente, não. A Isabela é muito teimosa, eu falo, converso e nada, ela fica me olhando e fazendo o que não é para fazer, aí eu berro, grito, esperneio e devez em quando ela pára. Já o Antônio é só um berrinho e deu, ele me obedece na hora. Uma tática que aprendi na escolinha deles (veja só, a mãe aprendendo coisas na escolinha) é o cantinho do pensamento. No começo é difícil, eles não querem ficar lá por nada no mundo, mas se tu te manter firme e insistir em coloca-los no cantinho, logo eles aprendem. O tempo é 1 minuto por idade. Adotei um bidê que tem no quartinho deles como o cantinho do pensamento, aí quando eles estão brigando ou fazendo algo errado, eu pego pelo braço e deixo eles sentadinhos lá, mas sempre digo que eles vão ficar ali porque não podia fazer tal coisa. Depois de passado o tempo vou lá e converso dizendo que a mamãe estava triste por terem feito aquilo e que ele ficou sentadinho ali pensando no que fez. Depois peço um abraço e fica tudo certo! Quando é briga, eu digo pra irem fazer carinho no outro. Olha, às vezes esse método tem funcionado, mas quando não funciona é na base do berro mesmo, hehehehehe!!!!
Tenta aí com a tua duplinha e me conta depois!!!!
Mil beijos e beijocas nos teimosinhos****

Renata disse...

Querida Cris, deixei um selinho para ti lá no meu blog. Super beijo!

Anônimo disse...

IH Tina! Não tem receita não! A gente aprende com eles! Das coisas que estive lendo é que a gente precisa ser firme. Falar com carinho, mas com segurança e firmeza e eles matam mesmo a gente no cansaço, testando todo tempo. Aqui em casa os meus grandes já argumentam, o que é um dilema, porque as vezes vale conversar e argumentar e em outros temas é não e não sem muita explicação (que também precisa existir, eles precisam também saber escutar um não e respeitar acatando apenas porque somos pais - me disse uma vez uma psicóloga lá no Chile). A Lígia sempre nos testou mais e fez mais birras, foi mais difícil mostrar os caminhos e falar o Não (é muito mais cômodo dizer o sim!), um pouco da personalidade outro tanto por ser primeiro filho (a gente erra tanto tentando acertar!).
Muita paciencia, amiga!
Abraço grande,
Nani