quarta-feira, 9 de junho de 2010

A bendita psicologia 2

Obrigada pelos comentários.
Nem de longe eu quis dizer que acho que não erro. Erro sim, talvez bastante até. A questão pra mim é a maneira como as pessoas lidam com isso. Claro que sugestões são benvidas, eu quero melhorar e sou receptiva a isso, só quero ser tratada com carinho e com respeito. Quero ser tratada como uma mãe que dá tudo de si para acertar, que faz o seu melhor e que erra sim, mas na intenção do acerto.
A crítica é benvinda, desde que quem critica tenha alguma idéia melhor.
Se não tem idéia melhor ou uma sugestão que possa de alguma forma ajudar, manter-se em silêncio é um favor!

Kátia, realmente... a gente erra porque dá a cara a tapa, estamos tentando acertar e estamos errando, acertando e aprendendo todos os dias. Estamos no campo de batalha do dia-a-dia, e quem não está junto vivenciando realmente muitas vezes não sabe o que diz.

Adriana, eu também me analiso muito e ainda não tenho feed back da educação que começo a desenvolver, acho que por isso me torno mais vulnerável as críticas. Mas a questão não são as críticas e sim a maneira como são feitas. Aqui mesmo nos blogs, nós buscamos informações e por vezes não concordamos ou sugerimos, mas isso é feito com carinho não é mesmo? Isso é que importa, isso é ajudar.

Oi Juliana, sim e esses nossos instintos nos transformam em leoas!

Oi Ju, é isso mesmo... quem não tá junto no dia-a-dia acha que tudo é muito simples.

A Luana é um pouquinho mais disperça.... ela é o nosso bebê, mas já começa a seguir algumas instruções copiando o Matheus. O Matheus leva fralda no lixo, ajuda a guardar os brinquedos, coloca algo no lugar ... mas tem um ano e meio. Ele já tem que saber que naquele porta-retrato não se mexe? Tem que saber que não deve tirar as coisas do lugar? Eu explico, falo (aliás falo o dia inteiro, nunca falei tanto na vida!), levanto a voz quando eles insistem em algo que já falei e quando me tiram do sério ou se colocam em risco dou palmada sim para sentirem que é sério.
Eles não são máquinas que a gente programa e eles executam. E pelo que li, nessa idade eles tem memória curta, vivem as emoções intensamente e querem descobrir tudo... então qual é a saída senão repetir? Vai chegar uma hora que vão entender. A educação é uma caminhada longa... estamos começando. Acho que paciência (muita paciência) bom senso, diálogo, compreensão e carinho são alguns dos ingredientes importantes dessa caminhada que não tem receita certa.

4 comentários:

Adriana disse...

O Matheus está sendo um bom professor para a Luana hein?
Cris, com essa idade a curiosidade deles afloresce ainda mais, tudo o que eles vêem e acham interessante eles querem tocar, isso é normal! Até conosco, quando vamos em uma loja sempre tocamos na roupa que achamos bonita, ou pegamos o calçado na mão, mesmo que a gente não vá comprar, mas a gente quer sentir e assim são os nossos pequenos. Lá em casa eu já percebi que tudo o que é "proibido" atiça ainda mais a curiosidade, então se eu vejo que ele quer mexer em alguma coisa "nova" eu pego, mostro pra ela digo para que serve e fazemos um trato, lá ela não mexe, mas sempre que sentir vontade de ver mais de pertinho ela pede pra mamãe que a mamãe mostra. E pronto, desfaz-se a curiosidade ela acaba por esquecerr da novidade. Mas isso de falar mil vezes a mesma coisa é super normal e é assim que eles acabam por aprender!

bjs gelados!!!!!!!

Camila disse...

Ai, Cris, me identifiquei super com o seu post! Vivo isso tudo diariamente e estou tentando achar a receita para o sucesso. Enquanto não encontramos, vamos fazendo o nosso melhor e trocando figurinhas com mães tão legais e dedicadas!!
Bjos,
Camila
www.mamaetaocupada.blogspot.com

Juliana disse...

Cris querida!
obrigado por me citar no seu blog. to adorando ser sua amiga de blog. queria muito ser sua amaiga de orkut e de msn... mas se quizer pode ir me conhecendo, não tenho pressa. seus filhos são lindos, uma graça. tenho 27 anpos sou fisioterapeuta mas n~]ao trabalho, sou apenas mãe! da Maria Fernanda de 5 anos e meio, e do Pedro antonio de 11 meses . sou paulista do interior de são paulo, presidente Prudente. h´pa 2 anos moro em Gurupi - Tocantins, moro aqui por causa do marido que trabalha na fazenda do pai dele. fico sozinha com as crianças a semana toda, meu marido só vem de fim de semana. beijos e o que quizer sabe ao meu respeito me pergunte. ah, aqui tem muitos gaúchos viu. beijos

Babi disse...

Nossa que postagens ótimas!!! eu to meio devagar com as visitas mas qdo dá eu venho e leio tudo!!! hehehe Guria, as vezes demoro a pegar no sono pensando em como foi o dia com a Beatriz, qtas vezes falei alto com ela desnecessariamente, e qtas vezes fiz a coisa certa...nem sempre durmo feliz comigo mesma...e olha que a tal PACIENCIA agora esta fazendo parte domeu dia a dia mais do que nunca...rezo ( acho que épouco) pra Deus aumentar minha paciencia, e tenho descoberto este dom que não tinha...tenho contado até 3 e respirado fundo antes de tomar qualquer decisão com minha beatriz, e sempre peço a Deus pra me ajudar...pois não é facil! bjsss ótimo final de semana!